Como Funcionam as Escolas na França

Quando a gente muda de país e de cultura, até a mais simples providência se torna complexa. Isso porque não temos conhecimento de como as coisas realmente funcionam naquele país. Durante a minha estadia na França, precisei matricular as crianças na escola e lidar com uma série de situações desconhecidas para mim. Resolvi escrever esse post para ajudar as pessoas a se familiarizarem com o sistema de ensino Francês e antecipar algumas situações que podem ocorrer na vida real. Espero que você goste, então, inspire fundo e boa leitura!

O sistema de ensino na França é parecido com o brasileiro e é divido em 4 etapas: École Maternelle que corresponde à educação infantil, École Élémentaire e Collège que equivalem ao ensino fundamental (antigo primário e ginásio) e Lycée que é o nosso ensino médio.

Em geral as crianças entram no maternal aos 3 anos e há creches que abrigam as crianças com menos de 3 anos. Em razão da grande demanda, é muito difícil conseguir vagas em creches e, em geral, somente as mães que já estão empregadas, são contempladas. Portanto, se o seu filho tem menos de 3 anos é melhor você se planejar para cuidar dele e se der sorte você poderá conseguir uma vaga numa creche duas vezes por semana.

Na França há escolas públicas e privadas. As escolas privadas em geral não são muito caras, pois o corpo docente é pago pelo estado e os pais arcam apenas com os custos administrativos. As escolas públicas são gratuitas, mas a alimentação e o centro de lazer são serviços pagos à parte.

Para facilitar o entendimento do sistema escolar, selecionei alguns itens que acredito que podem ser úteis pra você: qual é o período escolar, quais são as entidades que funcionam dentro da escola, como funciona o calendário escolar, como fazer pagamentos e como mudar de escola se um dia você precisar.

Período das Aulas: as aulas são de segunda à sexta em período integral, exceto às quartas-feiras, que as crianças têm aulas apenas durante o período da manhã. As escolas oferecem ainda atividades extracurriculares e refeições no horário de almoço.

Entidades Dentro da Escola: eu demorei um certo tempo para entender quem era quem dentro da escola. Isso porque, na realidade, as escolas francesas abrigam 3 entidades diferentes: a escola propriamente dita, o centro de lazer e a cantina, e cada uma delas tem um responsável diferente.

  • A Escola: é coordenada pela diretora (que também é professora) e é a entidade responsável pelos alunos durante o período de aulas (entre 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h00).
  • O Centro de Lazer (ALAÉ – Accueil de Loisirs Associé à l’École): é uma entidade que trabalha com animadores que cuidam das crianças antes e depois do período das aulas e na pausa do meio-dia (das 7h30 às 8h30, das 11h30 às 13h30 e das 16h00 às 18h30). O centro de lazer também oferece atividades para as crianças que precisam ficar na escola durante às tardes de quarta-feira e durante os períodos de férias.
  • A Cantina (restauration scolaire): é a entidade responsável por oferecer almoço às crianças. São refeições completas com entrada, prato principal e sobremesa e uma boa oportunidade para o seu filho interagir com os colegas e provar os sabores da culinária francesa.

Calendário Escolar: o início das aulas ocorre em setembro e termina no final de Junho. Se prepare para ter os seus filhos de férias a cada 2 meses de aula. Diferentemente do Brasil, os franceses têm 4 férias de duas semanas (de Ação de Graças, de Natal, de inverno e de primavera), mais as férias de verão, que duram cerca de 2 meses (julho e agosto). O período de férias é defasado de acordo com a região da França. Isso é feito para aumentar o período de turismo e otimizar a ocupação de os hotéis e restaurantes na alta temporada. Para programar os seus passeios, consulte o calendário escolar para saber quando os seus filhos estarão de férias.

Pagamentos: caso você opte por deixar o seu filho almoçar na escola e participar das atividades oferecidas pelo centro de laser, você precisará pagar por esses serviços. A alimentação é paga diretamente para a prefeitura por uma fatura que vai chegar no seu endereço e as demais atividades são pagas para o centro de lazer na escola. Como tudo na França, esses serviços são “cotizados”, o que significa que o valor a ser pago depende da sua renda familiar. Portanto, mesmo que você pretenda ficar pouco tempo, você precisará se cadastrar num órgão chamado CAF – Caisses d’Allocation Familiale apresentando todos os documentos da sua família. Apenas após esse cadastro você vai conseguir fazer os pagamentos relacionados à escola.

Como mudar de escola: Caso não goste da escola, o melhor caminho é conversar com a diretora da escola que gostou e estudar a possibilidade de mudar. Se ela disser que há vaga para o seu filho, você vai precisar fazer um pedido de troca de escola (demande de dérogation) na Mairie. É importante conversar antes pois, uma vez que der entrada no pedido, primeiro eles irão disponibilizar a sua vaga e depois vão tentar te realocar na escola desejada. Funciona como uma dança das cadeiras e conversar antes com a diretora vai reduzir o risco do seu filho ficar sem vaga.

Se esse post foi útil para você, deixe o seu comentário e compartilhe! Se você procura dicas para morar na França, consulte o meu post 6 Dicas para Facilitar a sua Mudança para a França Levando sua Família.

Para saber mais sobre educação na França, consulte o site oficial do Ministério da Educação e o site da prefeitura (mairie) da cidade onde irá morar. Apesar da língua, com o seu português, um pouquinho de boa vontade e a ajuda de um tradutor, tenho certeza que você se sairá bem.

Boa sorte nas suas pesquisas e até logo! Bonne chance dans vos recherches et à bientôt!

Anúncios

O Medo da Mudança

O que você está fazendo da sua vida? Você está insatisfeito com o seu trabalho, com o seu relacionamento ou com a política do seu país? Acho que neste momento 100% dos brasileiros está insatisfeito com a política! Mas porque você não faz nada para mudar o que está te incomodando?

Somos ótimos em arrumar desculpas para não fazermos as coisas, pois afinal de contas o ser humano não gosta de mudanças. Quem não fica irritado quando uma nova versão de um software reorganiza os ícones que já estávamos tão acostumados! Mudanças trazem desconforto, mas muitas vezes é o desconforto que nos impele a mudar.

É muito comum termos medo do desconhecido e talvez por essa razão as mudanças sejam tão difíceis e venham acompanhadas de uma boa dose de ansiedade. Na verdade, mudar algo que já fazemos de uma determinada forma conhecida, implica em reconstruir algo que já se tornou um hábito. Mudar de cidade ou de país, significa sairmos da nossa zona de conforto e abrimos mão da segurança do nosso lar, do nosso bairro, da nossa cultura e muitas vezes, da proximidade dos amigos e da família.

Mas a mudança também abre portas para novas descobertas e novas oportunidades. Podemos ficar paralisados pelo medo ou enfrentá-lo e enxergar o lado bom das mudanças. A terapia cognitiva diz que focar em experiências negativas é receita certa para depressão. Temos que focar no lado positivo.

Segundo Richard Boytzis, um psicologista da Weatherhead School of Management na Case Western Reserve University, falar positivamente sobre seus objetivos e sonhos ativa centros do cérebro que te abre a novas possibilidades. Mas, conversar sobre o que você deve fazer para se corrigir, te fecha.

Mudanças exigem: motivação, uma boa dose de força de vontade e persistência, mas podem ser altamente gratificantes e realizadoras. Aliás, o mundo não é estático e a única certeza que temos é que a mudança é inevitável.

Podemos ser passivos e nos adaptar às mudanças conforme elas forem acontecendo, ou podemos ser protagonistas da nossa própria estória e sermos os agentes da mudança.

Então, que tal resgatar um pouco do seu sonho e pensar sobre o que você adoraria estar fazendo daqui à 10 anos? Qual o legado que você gostaria de deixar para os seus descendentes?

Espero que esse post tenha te inspirado a mudar. Se você gostou deste post, deixe seu comentário!