Como comprar na internet de forma segura

Estou fazendo uma reforma lá em casa para integrar a sala com a cozinha e, como parte do projeto, resolvi trocar os eletrodomésticos. Neste processo de compra, fiz alguns bons negócios e outros péssimos. Pra falar a verdade acabei sendo enganada numa compra pela internet num site duvidoso http://www.livrariagodoy.com.br. Nesse post vou compartilhar com vocês como fazer uma boa compra e também como evitar cair em golpes como esse que eu caí.

Indo direto ao ponto, aqui estão 3 dicas simples pra comprar pela internet sem cair em golpes:

  1. Nunca pague em boleto bancário!!! Tem várias formas de pagamento seguro pela internet. Utilize-as.
  2. Consulte o nome da empresa no Reclame Aqui e verifique se o registro do site é recente no Registro.br. Se for, desconfie.
  3. Cheque o CNPJ da empresa na Recita Federal.

Quando fiz o projeto da marcenaria da cozinha, decidi os eletrodomésticos que queria utilizar. Como a lista de itens para comprar era grande: cooktop, coifa, forno, lava-louças e geladeira, arregacei as mangas e comecei a pesquisar preços em diferentes lojas.

Tenho alguma prática em comprar pela internet e comecei usando os sites de busca de preços como o Buscapé e o Zoom para comparar os preços entre as lojas. Durante a obra se gasta muito, então vale tentar economizar onde for possível.

Para comprar eletrodomésticos com preço bom você tem que acompanhar os preços dos produtos diariamente, pois é similar à bolsa de valores, cada dia eles sobem ou baixam de preço. O site Zoom fornece um gráfico com o histórico de preços dos últimos 40 dias e dos últimos 6 meses e você pode, inclusive, ajustar um alerta com o preço que você quer pagar. Quando o produto chegar neste preço você recebe um email avisando. É bem prático e vale a pena utilizar quando você não tem muita pressa para comprar aquele determinado produto.

histórico de preços

Eu também consegui alguns preços muito bons com uma loja chamada Spazio em São José dos Campos. A Patrícia (que atende pelo WhatsApp 12 99717-6800) foi a vendedora que me atendeu e ela ficava acompanhando os preços pra mim e me avisava quando baixava. Achei essa alternativa excelente, principalmente para quem não tem tempo de ficar pesquisando preço. Além disso ainda promove o comércio local da cidade.

Mesmo com alguma prática de comprar na internet eu acabei caindo num golpe de um site chamado www.livrariagodoy.com.br. E, resumindo, a história foi assim…

Hoje em dia com todos os cookies que os sites usam, quando você começa a pesquisar um item na internet, qualquer site que você abre aparecem aquelas janelinhas oferecendo o produto que você pesquisou. Já comprei algumas vezes usando o site do Walmart e durante uma das minhas pesquisas de preços, numa janelinha dessas que apareceu, me deparei com um anúncio da Livraria Godoy com preços de eletrodomésticos muito bons. Comecei a ver aqueles preços mais baixos e resolvi pesquisar sobre a empresa. Não tinha nenhuma reclamação no site Reclame Aqui da empresa. Consultei o CNPJ e estava tudo em dia com a empresa (aberta desde 1997). Enviei um email com algumas dúvidas sobre os produtos e recebi um email automático dizendo que todas as informações estavam no site. Entrei no site pra simular uma compra e quando selecionei a opção para pagamento no cartão, o pedido foi concluído com os valores 50% maiores do que os anunciados. Recebi um email com as instruções para pagamento com o cartão. Tentei contato por telefone sem sucesso. Então, enviei um email pedindo para eles cancelarem o pedido e pedindo para eles entrarem em contato comigo por telefone. Eles então me ligaram e disseram que estavam cancelando o pedido.

Desisti da compra porque algo me parecia errado. Além disso, o prazo de entrega era bem longo, 19 dias úteis e eu não podia esperar tanto tempo. Alguns dias depois, não sei direito porque, talvez apenas para economizar 200,00, resolvi arriscar. Como o cooktop tinha um valor mais baixo e eu podia esperar, resolvi fazer a compra no site da Livraria Godoy, mesmo indo contra todos os meus instintos!

Eu fiz a compra com pagamento no boleto bancário no dia 15 de maio de 2017 e era pra receber o produto até 09 de Junho. Em geral, alguns dias após a compra recebemos a nota fiscal do produto, que tem que ser emitida antes de ser enviado. Quando chegou mais perto da data eu enviei alguns e-mails pra eles perguntando pela nota fiscal e nada. Silêncio do rádio. Resolvi então consultar novamente o Reclame Aqui e lá estavam outras reclamações semelhantes.

Pesquisando sobre o site e descobri que este site está registrado no nome de Marcio Campos Santana e foi ciado em 30/03/2017! Ou seja, não havia reclamações porque o site era muito recente.

Mas a história não termina ai. Depois de cair a ficha de que eu tinha sido enganada, eu comecei a pesquisar para comprar novamente o cooktop e, qual foi a minha surpresa quando eu me deparei com uma nova oferta semelhante. Entrei no link do site http://www.moveisgalileu.com.br e, pesquisando sobre este site, ele está no nome de Flavia Alves de Souza e foi criado em 15 de Maio com um CNPJ que não existe! Eu não comprei novamente para conferir, mas aposto que daqui a 15 dias começarão a aparecer reclamações sobre esta empresa também no Reclame Aqui.

Resolvi transformar essa minha experiência infeliz em algo que possa ajudar outras pessoas a não cometerem o mesmo erro. Eu podia apenas dizer “não compre na Livraria Godoy porque é uma fraude”, mas a minha conclusão é de que isso provavelmente é uma quadrilha que cria sites diferentes à cada 15 dias pra dar golpes nas pessoas usando produtos como isca. Então, o melhor mesmo é seguir as 3 dicas deste post pra evitar aborrecimentos.

Se você gostou deste post deste o seu comentário e compartilhe!

Boas compras e boa sorte!

Anúncios

Dicas para organizar a sua agenda

Ser uma pessoa mais organizada será sempre uma vantagem. Algumas pessoas podem pensar que passar algum tempo planejando certos projetos e ações é pura perca de tempo, mas a verdade é que a organização pode ser um fator definitivo para se tornar uma pessoa mais produtiva e ter mais qualidade de vida.

A primeira coisa para organizar a sua agenda é saber o que precisa ser feito. No post “Será que sobra tempo para fazer o que é importante para nós?” eu te mostrei uma forma de estabelecer as suas prioridades, o que nem sempre é trivial. Lá eu disse que para organizar o seu tempo você precisa se livrar das atividades que representam perda de tempo para poder resolver as coisas urgentes e importantes, delegar o que não é importante e investir nas coisas que realmente importam pra você.

Nesse post eu vou passar algumas dicas práticas para lidar com as atividades do dia a dia de forma simples e eficiente. Então vamos lá!

Planeje o dia seguinte: temos tantas atividades diárias que as vezes uma mudança de planos atrapalha todo o cronograma. À noite, antes de dormir, pense nas atividades do dia seguinte. Isso vai te ajudar a não esquecer de nada e a determinar a melhor hora de fazê-las. Se forem muitos itens avalie se não tem nada que possa ser feito no dia seguinte. Opte por poucas tarefas mas que possam ser bem executadas, assim, você ficará satisfeita com o resultado e animada para resolver mais “pepinos” no dia seguinte. Mas cuidado, se você sofre de insônia, não deixe que os seus pensamentos atrapalhem o seu sono. Neste caso, fazer uma lista escrita pode te dar segurança de que não vai esquecer nada e dormir tranquila.

Faça listas, mas não dependa delas: o mais importante ao se fazer uma lista é o processo mental de pensar no que precisa ser feito. Esse ato é um momento de planejamento onde você escanea o cérebro em busca de informações que foram armazenadas de forma aleatória, organiza e valida essas informações. Muitas vezes após fazermos uma lista de compras por exemplo, nem precisamos olhar a lista novamente, pois as informações foram gravadas na nossa memória. Às vezes validamos uma informação apenas falando em voz alta o que temos que fazer ou até mesmo pensando sobre o assunto. Como eu sou uma pessoa com uma boa memória visual, a lista escrita me ajuda bastante, mas eu também faço “listas mentais” enquanto corro ou dirijo. A lista é um meio para ajudar a planejar o seu dia ou a sua semana. A armadilha é que algumas pessoas gostam tanto de fazer listas, que elas perdem horas a fio fazendo listas detalhadas e acabam não executando as tarefas. A mensagem aqui é: mais importante que uma lista bonita é uma lista eficiente (não importa o suporte, pode ser num post-it ou no celular).

Decida se exercitar quando estiver descansada: apesar de ser uma pessoa que adora fazer exercícios, tenho uma tendência em decidir que “hoje eu estou muito cansada e mereço descansar”. Quem trabalha fora tem 3 alternativas de horário para se exercitar: pela manhã antes de ir para o trabalho, na hora do almoço e no final da tarde depois do trabalho. Qualquer ser humano normal prefere dormir até mais tarde de manhã, comer na hora do almoço e descansar ou cuidar das crianças no final do dia. A decisão de se exercitar é “difícil” justamente porque ela é contra o seu metabolismo natural. Por isso, não pense antes de ir, simplesmente vá. A decisão de se exercitar precisa ser tomada no dia anterior quando estiver planejando o dia seguinte, assim você vai apenas executar uma tarefa e não decidir sobre ela. Antes de dormir prepare a bolsa para ir à academia e vá cedinho ou a leve para o trabalho, assim você evita a tomada de decisão quando está cansada.

Concilie a sua agenda com a das crianças: essa dica vale para quem tem filhos. Como somos responsáveis pela agenda das crianças, utilize-a em seu favor conciliando uma atividade delas com uma de seu interesse, seja um esporte ou uma aula de artes. Por exemplo: enquanto meus filhos estudavam à tarde eu corria de manhã antes de ir para o trabalho, agora que eles têm aulas de futebol no final da tarde, eu vou pra academia enquanto eles jogam.

Use o seu tempo morto: quando pensamos nas atividades muitas vezes desistimos de fazer algo porque não temos tempo. Quanto tempo você leva com deslocamento, tarefas de casa, em filas de espera ou até mesmo se exercitando? O tempo morto são todos os momentos do seu dia que não são produtivos e que você pode utilizá-los para fazer coisas produtivas. Que tal aprender uma língua, ouvir um áudio book ou até mesmo ler um livro usando o seu tempo morto? Hoje em dia você pode usar o celular e ouvir arquivos de áudio enquanto você faz compras, dirige, corre ou ainda na sala de espera de um consultório médico.

Valorize suas conquistas: depois que você conseguiu realizar tudo que planejou para o seu dia nada mais justo que você dedique alguns momentos fazendo o que você gosta. Se dê ao direito de ler um livro, ir ao cinema ou sair com os amigos e aos poucos vá incluído essas atividades na sua agenda.

Espero que essas dicas sejam úteis pra você assim como elas são pra mim e pra minha família. Se você gostou desse post, deixe o seu comentário. Se você tem alguma sugestão, compartilhe com a gente. Vamos adorar saber como você faz para organizar o seu dia a dia!

Será que sobra tempo para fazer o que é importante pra nós?

Sabe quando a gente está fazendo alguma coisa e, de repente, olha pro relógio e percebe que o tempo voou? Pois é, isso sempre acontece comigo. Eu realmente tenho uma agenda cheia e algumas amigas me perguntam: “Como você consegue trabalhar, cuidar das crianças, fazer exercício e ainda ter tempo para escrever um blog?”. Numa dessas ocasiões, uma grande amiga fez uma sugestão: Rafa, você tem que escrever no seu blog e ensinar pra gente como você consegue ter tempo pra tudo!

Então eu aceitei o desafio e comecei a pensar a respeito das coisas que eu faço, como eu faço e como isso pode ajudar outras pessoas.

Confesso que nem sempre é simples dar conta de tudo e as vezes algumas coisas saem prejudicadas, por isso, o mais importante é começar pensando no que é mais importante pra você.

Parece fácil né? Mas não é.

Estabeleça Prioridades

Estabelecer as prioridades parece uma coisa simples, mas normalmente não paramos pra pensar nas coisas e vamos simplesmente vivendo o dia a dia e resolvendo o que é mais urgente, tipo: pagar a conta que vence amanhã ou levar o carro pro conserto.

Há bastante tempo eu fiz uma aula sobre gerenciamento do tempo e o instrutor começou mostrando um gráfico com 4 quadrantes classificando as atividades em urgente, não urgente, importante e não importante. Então fica assim:

  • Quadrante 1 – urgente e importante
  • Quadrante 2 – não urgente e importante
  • Quadrante 3 – urgente e não importante
  • Quadrante 4 – não urgente e não importante

Como eu sou engenheira já adorei o gráfico e logo pensei: “saquei! Temos que priorizar o que é urgente e importante!” Mas, durante o decorrer da aula me surpreendi com uma constatação mais profunda: na verdade precisamos trabalhar nas coisas importantes e não urgentes mas, as vezes nem sabemos quais são elas!

Trabalhar no quadrante 1 é extremamente estressante e consome a nossa energia vital, porém, essa é a forma mais natural de agirmos e é daí que vem o nosso sentimento de frustração quando constatamos que não sobrou tempo para fazer algo importante para nós. Quando não pensamos nas prioridades simplesmente vamos vivendo e resolvendo os assuntos urgentes e deixando as coisas importantes pra depois.

O mundo corporativo valoriza as pessoas que trabalham no quadrante 1, pois são pessoas com ação alta, que aguentam pressão e, são consideradas verdadeiros heróis quando conseguem resolver o problema. É o famoso “bombeiro” que vive apagando incêndio. No entanto, essa pessoa se torna tão indispensável para desempenhar esse papel dentro da empresa que ela acaba não tendo muitas oportunidades de crescimento, pois estão muito ocupadas resolvendo as coisas urgentes.

Mas como trabalhar no quadrante 2 com tantos incêndios à nossa volta? A primeira coisa é se livrando das coisas não importantes, mas que nos consome um tempo precioso sem que a gente se dê conta!

Resumindo: para organizar o seu tempo você precisa começar se livrando das coisas não importantes e não urgentes para ter tempo de atacar as coisas urgentes e importantes, delegar as coisas urgentes e não importantes e investir nas coisas importantes (inclusive para que não se tornem urgentes).

Colocando em Prática

Mas você deve estar se perguntando, como começar?

Em primeiro lugar pense nas coisas que você precisa fazer, nas coisas que você quer fazer e nas coisas que você faz (mesmo sem querer!).

Identifique aquelas que estão no quadrante 4 e que representam perda de tempo como por exemplo: tempo gasto no celular com redes sociais se inteirando sobre a vida dos outros, revistas de fofoca, conversas longas ao telefone. Aqui vão algumas dicas para eliminar ou minimizar essas atividades:

  • Rompa correntes sem culpa: fique tranquila! Nada acontecerá se você não passar pra frente uma mensagem no Whats App. Você não perde tempo repassando e poupa os seus amigos da mesma tarefa.
  • Não compre revistas de fofoca: você não será alienada se não estiver inteirada da vida do galã da novela. Além de você economizar uma grana, você não vai ficar sem ter o que fazer quando for ao médico e pegar uma Caras para ler do ano anterior na sala de espera. O casamento do ano passado será novidade pra você, mesmo que o noivo famoso já tenha se separado ; )
  • Conversas longas ao telefone: se você é do tipo que adora falar ao telefone, eu te entendo, pois eu também gosto! Minha sugestão é que você faça isso enquanto estiver executando uma outra tarefa (de preferência chata), como por exemplo, varrendo a casa ou cozinhando. Além de conversar com quem você gosta, isso vai tornar a tarefa mais prazerosa.

Agora que você eliminou o que significa perda de tempo, você precisa identificar as coisas que estão no quadrante 1, ou seja, são urgentes e importantes. Dessas você não tem como escapar, então mãos à obra. Se são muitas tarefas, faça uma lista e comece pelas mais fáceis e com prazo mais curto. Ver a lista de itens diminuir rápido faz com que você tenha motivação para atacar as mais difíceis.

Uma vez organizadas a tarefas urgentes e importantes, você precisa identificar as tarefas urgentes e não importantes. Se elas não são importantes elas podem ser delegadas ou até mesmo ignoradas (Adoro!).

  1. Minimize as interrupções: se não nos policiarmos somos interrompidos a todo momento por mensagens e telefonemas ou conversas desnecessárias. Quando somos interrompidos a gente perde o foco no que está fazendo e demora algum tempo para reativar as conexões cerebrais que estávamos utilizando (as vezes até esquecemos o que estávamos fazendo). Ficar olhando mensagens inúteis de bom dia e piadas no celular são uma grande causa de distração e perda de tempo. Mas como fazer se não tem como saber se a mensagem é inútil até que você a leia? Uma boa dica é desligar o alerta de mensagens e checá-las quando você for fazer uma pausa para beber uma água ou ir ao banheiro. Combine com seus familiares e amigos que em caso de urgência eles devem ligar.
  2. Seja mais seletiva: você já se pegou frustrada no domingo porque o seu fim de semana foi cheio mas não fez nada do que você queria? Teve um fim de semana que fui a 2 festas de criança dos amiguinhos da escola, ao teatro infantil e ao Mc Donalds, quando na verdade adoraria ter encontrado com os amigos para comer gostoso, bater papo, e dar uma caminhada no parque, mas não deu tempo. Aliás, não deu tempo nem de curtir os meus filhos porque eles ficaram jogando vídeo game nas festas e chegaram cansados e irritados. Antes de aceitar todos os convites para os eventos sociais, pense o quanto a sua família vai aproveitar neste evento. As vezes programas simples como tomar picolé, fazer pique nique ou um passeio a ar livre podem trazer momentos muito mais prazerosos. Cultivar as suas amizades é tão importante quanto cultivar as amizades do seu filho, então combine programas com os seus amigos também.
  3. Aceite ajuda: você está sempre correndo contra o tempo e fica igual a um pingue pongue se dividindo entre as várias tarefas diárias? Então você é igual a mim! Pense em tarefas que você possa delegar para que elas deixem de depender de você. Será que o seu marido pode levar o filho pra escola? Será que a sua vizinha pode trazer a sua filha quando ela for buscar a dela no ballet? A escola oferece transporte? Alguém pode passear com o cachorro pra você? Dá pra fazer as compras pela internet? Será que você consegue um estagiário para fazer aquela tarefa repetitiva no trabalho? Enfim, pense em alternativas que possam te ajudar a ter mais tempo para as coisas importantes.
  4. Coloque tudo em débito automático: não tem sentido perder tempo se preocupando com pagamento de contas que vencem em datas diferentes. Além de evitar as multas, você com certeza tem coisas mais importantes com que se preocupar.

Agora que você já se organizou, está na hora de investir nas coisas que são importantes pra você. As vezes a gente se perde na correria e nem para pra pensar nos nossos sonhos. Você já se perguntou o que gostaria de fazer se tivesse mais tempo livre? Aqui entram os seus projetos e o que realmente importa pra você: passar mais tempo com a sua família, fazer faculdade, aprender uma língua, fazer um esporte, tocar um instrumento, morar fora…. Faça a sua “wish list”. Nessa hora vale tudo mas, não desanime se chegar a conclusão que um desejo é muito difícil porque você não tem tempo, não tem dinheiro, não, não…. A gente sempre tem mil desculpas pra não correr atrás dos nossos sonhos!

Em geral, desejos de longo prazo dependem de outras coisas, então pense como um desejo pode ajudar a conquistar outro desejo. Por exemplo: quero fazer uma faculdade nos USA. Mas eu não sei inglês e não tenho dinheiro. Inclua na sua lista, aprender inglês e conseguir pagar a faculdade. Pense nas alternativas: para aprender inglês você pode fazer um curso convencional, um curso online, um intercambio ou de repente ser “au pair” em outro país. Para conseguir pagar seus estudos você pode: pedir para o seu pai (se ele tiver $), conseguir uma bolsa de estudos via “ciência sem fronteiras” ou outro programa do gênero, conseguir uma bolsa de estudos graças ao seu talento para jogar tênis, trabalhar como babá cuidando de crianças no seu prédio, ou de repente ser “au pair” e ganhar uma graninha enquanto aprende outra língua.

Organize os desejos de forma que um desejo de curto prazo se ligue a um de longo prazo e decida qual a melhor alternativa pra você sair da inércia. O importante é se mover em direção ao seu sonho, pois isso te dará força para acertar o caminho.

Atuar no quadrante 2 é ter respeito por si mesmo. É não deixar que a vida passe sem que você tenha se dado conta. Você já se perguntou o que você gostaria de estar fazendo daqui à cinco ou dez anos? Não? Então é hora de parar de apagar os incêndios, priorizar os seus sonhos e correr atrás do que é importante pra você.

Mas não se assuste se o caminho parecer muito difícil, trace rotas menores até que ele parece mais fácil. Tudo vale a pena se for para realizar o seu sonho!

A beleza da vida está na nossa capacidade de superação. Na capacidade que temos de lidar com os desafios, com os nossos medos e, fazer disso, oportunidades de crescimento pessoal.

No post “Dicas para organizar a sua agenda” você vai encontrar dicas práticas para organizar o seu dia a dia. Se gostou desse post e acha que ele pode ser útil pra você, deixe o seu comentário e compartilhe. A sua opinião é muito importante para mim!

4 Etapas Para Planejar a sua Viagem dos Sonhos para a Europa

Neste post eu vou compartilhar com você as 4 etapas que eu utilizo para planejar as minhas viagens e, que podem te ajudar a planejar a sua viagem dos sonhos.

Seguindo essas etapas, além de você poder conhecer os principais pontos turísticos, você também terá tempo para explorar o lugar, se perder pelas cidadezinhas encantadoras do interior e conhecer um pouquinho da cultura dos países que você escolher. Se você quer saber mais dicas para planejar a sua viagem tranquilamente, clique aqui.

Etapa 1: pesquise e pense na logística da viagem

Pesquise alguns lugares que você gostaria de ir, visualize eles no mapa e cheque a distância entre eles. Você não quer perder tempo tendo que ir e voltar grandes distâncias. Se forem próximos, você poderá se deslocar de carro ou de trem e, se forem muito longe, você provavelmente terá que se descolar de avião. Vale lembrar que na Europa tem muitos voos low cost baratos, mas a franquia de bagagem em geral é bem pequena e isso significa que você vai precisar esquecer aquelas 2 malas de 32 quilos permitidas para os voos internacionais saindo do Brasil!

Etapa 2: decida quando e onde você quer ir

  • Prefira a primavera e o outono. Na minha opinião a época mais bonita pra viajar pela Europa é a primavera, quando os campos estão floridos, as pessoas começam a voltar para as ruas e tem festivais de música por toda a parte. O Outono também é legal, com o colorido das árvores. No começo do outono você ainda pega os dias longos e o final do calorzinho do verão. Durante o inverno os dias são curtos (escurecem cedo) e as cidades menores ficam desertas. A melhor alternativa é mesmo ir para a montanha, esquiar e aproveitar a neve! Durante o verão, os dias são longos e é bom para curtir as praias. Porém, a Europa inteira está em férias escolares, então se prepare para pegar filas nas atrações turísticas e pagar 2 ou 3 vezes o preço nas tarifas dos hotéis.
  • Escolha 1 país por semana. Comece pensando no país ou países que você gostaria de conhecer. Como você está planejando a viagem dos seus sonhos, isso não é uma gincana pra ver quantos países consegue passar em 15 dias! Eu sugiro que você escolha apenas 1 país e aproveite para conhecer bem a região. Mas, como eu sei que é difícil de resistir à tentação de aproveitar a viagem para conhecer mais de um país, eu uso sempre a razão de 1 semana por pais. Pense que cada dia de check-in/check-out de hotel e de deslocamento é tempo perdido, pois envolve arrumar mala, carregar a mala (que não tem esse nome à toa!) e chegar com antecedência para pegar um voo ou um trem. Por exemplo, se você vai passar 2 semanas, escolha dois países e, no máximo 3, se forem próximos.
  • Alterne grandes cidades com cidadezinhas menores. Apesar dos cartões postais estarem nas capitais, o encanto da Europa está nas cidadezinhas. Aproveite para se perder nas estradinhas vicinais que te levam a campos floridos, castelos, moinhos, lagos e praias lindas. Além disso, enquanto você estiver na cidade grande você vai andar muito a pé e utilizar os meios de transportes públicos. O que significa que depois de 4 ou 5 dias andando pra cima e pra baixo, você vai precisar mesmo de um descanso. Vou te dar um exemplo: se você vai incluir Paris no seu roteiro, pense em incluir também um passeio pelo Vale do Loire ou pela Região de Champagne. Se você vai a Roma, considere passar uns dias na Toscana. Se você vai a Bruxelas, Bruges é uma ótima pedida. Se você vai a Barcelona, a Costa Brava é imperdível!

Etapa 3: compre o bilhete aéreo de ida e volta

  • Compre um bilhete que vai para um destino e volta de outro. Se você não resistiu e optou por mais de um país, que tal otimizar o seu voo e comprar um bilhete que vai para um país e voltar de outro? Por exemplo, você decidiu conhecer a França e a Suíça. Dê uma olhada nos voos indo para Paris e voltando de Genebra. Isso vai evitar a viagem de volta de Genebra para Paris.
  • Aproveite as conexões. Se você é do tipo que gosta de explorar todas as alternativas, uma opção é aproveitar as conexões. Agora, se você é do tipo indeciso, nem pense nisso, pois são tantas as alternativas que isso só vai te deixar mais confuso (vá para a etapa 4). Algumas companhias aéreas não cobram a mais se você parar alguns dias na sua conexão. Por exemplo: se você conseguiu uma viagem mais barata pra Paris pela Ibéria via Barcelona por exemplo, talvez valha a pena considerar incluir Barcelona no seu destino e ficar alguns dias lá.

Etapa 4: Decida a hospedagem e os deslocamentos intermediários

  • Fique no mínimo 3 dias no mesmo hotel. Se você quer conhecer uma região, escolha um ponto central como base. Mudar de hotel, além de ser um saco, é perda de tempo e amarra o seu roteiro. Planeje pelo menos 3 dias no mesmo hotel e use o carro, trem ou ônibus para ir e vir. Isso te dará a chance de mudar de ideia e incluir outro lugar no meio do caminho, ou de voltar aquele lugar que você se apaixonou! Por exemplo: se você quiser conhecer a Côte D’azur, você pode ficar em Nice ou em Villefranche-sur-Mer e ir a Saint-Jean-Cap-Ferrat e Mônaco de ônibus (que é o melhor meio de se locomover lá). Se você quer se sentir em casa, há muitos hotéis que são como se fossem apartamentos e tem cozinha totalmente equipada pra você fazer um jantarzinho a dois.
  • Evite os carros enquanto estiver nas capitais. Além de economizar com o aluguel do carro, você também evitará transito e problemas para estacionar. Em geral as locadoras de carro cobram uma taxa para pegar o carro em um país e devolver em outro. Eu sempre vejo se vale a pena fazer isso ou se é melhor pegar e devolver no mesmo país e viajar para o próximo lugar de trem ou de avião.
  • Prefira os carros quando for explorar as cidades menores. Nada melhor do que aproveitar para pegar um carro e explorar o interior. Você terá o prazer de dirigir em outro país, apreciando a paisagem durante a viagem e descansando os seus pezinhos inchados (de andar na cidade grande)! Por exemplo se estiver indo passar uns dias em Lisboa e de lá for para Albufeira, pegue o carro na estação de trem quando estiver saindo de Lisboa, vá para Albufeira de carro para poder explorar a região e se perder nas estradinhas vicinais e praias maravilhosas e, devolva o carro no aeroporto de Lisboa, por exemplo.

Agora que você já tem o passo a passo para planejar a sua viagem, é hora de arregaçar as mangas e transformar o seu sonho em realidade. Inspire fundo e mãos à obra! Espero que esse passo a passo seja útil pra você planejar a sua viajem dos sonhos assim como ele é pra mim e para o meu marido.

Se você gostou deste post, deixe o seu comentário e compartilhe! Se você pretende viajar com os seus filhos pequenos, leia também o post Viajando pela Europa com crianças.

Boa viagem e até a próxima!

7 Dicas para Planejar a sua Viagem Tranquilamente

Para onde ir? Qual a melhor data? Quanto tempo ficar? Como é melhor se deslocar? Onde se hospedar?

Se você quer planejar a sua viagem mas não sabe por onde começar, tudo bem, você não está sozinho! É normal ficarmos confusos com tantas alternativas e decisões a tomar. Mas não se estresse! Neste post eu vou compartilhar com você algumas dicas para te ajudar a planejar a sua viagem com tranquilidade.

  1. Planeje em Etapas: quando a gente começa a planejar a viagem é normal querermos ver tudo antes de decidir e, não conseguimos decidir nada pois ficamos mudando de ideia e de roteiro a todo o momento. Então, a minha sugestão é planejar a viagem em etapas. Depois de passada a euforia inicial de ver mapas, pesquisar lugares, pesquisar passagem, pensar nos meios de transporte e pesquisar hotéis, pare e foque no essencial. Decida a cidade de chegada e a de partida e mais ou menos o que você quer ver no meio. Uma vez decidido isso, compre a passagem de ida e volta. Depois você pode pesquisar melhor na internet os lugares que você quer ir e reservar alguns hotéis. Se você ainda não conseguiu decidir onde ir, relaxe! O Bookings.com oferece a possibilidade de você fazer reservas com cancelamento grátis que é uma boa saída para quem ainda está na dúvida do roteiro. E, por fim, decida como você vai se locomover internamente. Se você quer saber o passo a passo de como planejar a sua viagem dos sonhos para a Europa em 4 etapas, clique aqui.
  2. Curta o Planejamento: não se estresse e curta cada momento do planejamento. Se em algum momento ficar estressado(a) sem conseguir se decidir, inspire fundo e relaxe. De repente é melhor deixar essa decisão para alguma outra hora. Se você está viajando com amigos, que tal marcar um jantar para baterem papo e planejarem a viajem juntos?
  3. Inclua no cronograma alguns dias livres: aproveite a viagem para relaxar e não se prenda a um cronograma rígido, afinal são suas férias! Com certeza você vai passar por lugares que você gostaria de ficar mais. Se você não sabe como fazer isso, dê uma olhada na Etapa 4 do o meu post 4 Etapas para planejar a sua viagem dos sonhos para a Europa.
  4. Reserve de 10 a 15 dias: o tempo de viagem vai depender muito da sua disponibilidade e de onde você quer conhecer. Mas, quando as pessoas me pedem a minha opinião, eu digo que uma viajem de 15 dias é o ideal. Se ficar apenas uma semana, com certeza você vai voltar com a sensação de que podia ter ficado mais e, depois de 2 semanas você vai começar a sentir o cansaço da viagem.
  5. Providencie a documentação necessária: cada país exige documentos de viagem diferentes. Verifique as exigências dos países por onde você vai passar (inclusive as escalas) e providencie passaporte, visto e vacinas. Em geral, é exigido que o passaporte e o visto tenham validade de pelo menos 6 meses.
  6. Faça pique niques: na Europa comer ao ar livre é um hábito da população. É só o tempo permitir que as pessoas todas vão para o parque em busca do sol. Aproveite para comprar comidinhas deliciosas no mercado, uma boa garrafa de vinho e fazer um simpático pique nique no parque se sentindo um verdadeiro Europeu.
  7. Tenha jogo de cintura: Imprevistos acontecem, portanto esteja preparado(a) para lidar com eles. Um voo pode atrasar e bagunçar a sua conexão, uma mala pode extraviar e você ter que ficar um ou dois dias até ela aparecer, mas não se estresse, tudo vai se resolver. A chuva pode “estragar” alguma programação, mas não fique frustrado, pense que são as suas férias e que você vai se divertir mesmo que seja passeando na chuva!

Espero que essas dicas sejam úteis pra você planejar a sua viajem.

Se você gostou deste post, deixe o seu comentário e compartilhe! Leia também Viajando pela Europa com crianças

Boa viagem e até mais!

5 Dicas Para Acelerar o Seu Desenvolvimento no Aprendizado de Línguas

Os 4 Passos Importantes Para se Aprender Uma Nova Língua utilizando o método de aprendizagem natural são: escutar, fixar, imitar e finalmente falar. Os dois primeiros passos estão diretamente relacionados com escutar um determinado conteúdo repetidas vezes até que o seu cérebro reconheça todas as palavras e compreenda o seu significado.

Se você está estudando alguma língua ou está pensando em começar essa jornada, aqui vão 5 dicas simples para acelerar o seu aprendizado:

  • Escute muitos áudios na língua que você está estudando ou pretende aprender.
  • Use o seu smartphone como um aliado no seu desenvolvimento. Salve áudios que você possa ouvir enquanto estiver se deslocando de casa para o trabalho (ou para a escola) ou fazendo exercícios físicos.
  • Escute os mesmos áudios muitas vezes e comece a repetir em voz alta o que você está ouvindo.
  • Escolha conteúdo do seu interesse, se você vai escutar um pod-cast, ver um filme ou ler um texto, procure temas que sejam do seu interesse.
  • Assista novamente uma série que você gostou de ver, mas agora com o áudio no idioma que você quer aprender. Você pode primeiro assistir com a legenda em português, depois com a legenda no outro idioma.

Se você gostou deste post, deixe o seu comentário e compartilhe! Leia também o post Como Falar Francês em Um Ano.

4 Passos Importantes Para se Aprender Uma Nova Língua

Você tem vontade de aprender uma nova língua e está com preguiça porque acha que vai demorar anos para ser capaz de falar? Então você não está sozinha, pois a maioria das pessoas compartilha deste pensamento.

Eu não vou te dizer que aprender uma nova língua é fácil ou que não exige esforço porque não é verdade, mas vou compartilhar com você 4 passos importantes para o aprendizado de línguas que identifiquei observando o meu próprio desenvolvimento e o desenvolvimento dos meus filhos.

Quando fomos morar na França, meus filhos tiveram a oportunidade de estudar numa escola francesa e aprender uma segunda língua. Dessa forma, pude acompanhar o desenvolvimento deles na aprendizagem do Francês de forma natural e espontânea. O Bruno na época tinha 3 anos e ele tinha acabado de conquistar a sua fluência no Português! Já o Diogo tinha 5 anos e meio e já lia e escrevia. Apesar do desenvolvimento dos dois ter sido um pouco diferente por causa da diferença de idade, eles basicamente seguiram os mesmos 4 passos.

Antes do primeiro dia de aula, eu e o meu marido ensinamos a eles algumas frases de primeira necessidade como: “bom dia”, “obrigada”, “por favor”, “quero ir ao banheiro” e “quero beber água”. E assim, munidos deste vasto vocabulário, eles foram para a escola sem saberem nada, ou melhor, quase nada de Francês.

Adivinhem o que aconteceu? Num primeiro momento eles ficaram mudos, pararam de falar! No entanto, após algumas semanas eles já compreendiam bastante e, depois de alguns meses, eles estavam se arriscando a falar as primeiras frases simples. Ao final de um ano e meio, quando voltamos para o Brasil, os dois estavam falando Francês fluentemente.

Você deve estar se perguntando, mas e daí? Fazendo uma análise sobre o processo de aprendizado deles pude perceber que foi muito similar à forma como nós mesmos aprendemos a nossa língua mãe (apesar de já termos nos esquecido disso!).

Então vamos aos 4 passos que podem te ajudar na sua jornada de aprender uma nova língua:

1º passo: o primeiro passo para se aprender uma nova língua é escutar! Escutar para compreender.

Parar de falar é uma reação muito natural para quem não sabe falar a língua. E, se pararmos para pensar, isso pode não ser tão ruim assim. Quando paramos de falar nós abrimos espaço para escutar o que os outros falam. O que vem a ser o primeiro passo do aprendizado de uma língua, a compreensão.

Fazendo um paralelo com o desenvolvimento de uma criança, observamos que desde o seu nascimento ela escuta as pessoas falando a sua volta. Nos primeiros meses de vida ela não compreende o significado das palavras, mas aos poucos ela vai identificando as palavras e criando relações entre o que ela ouve, o que ela sente e o que ela vê.

2º passo: o segundo passo no aprendizado da língua é a fixação. Ouvir várias vezes para fixar o conhecimento.

Na verdade, a medida que a criança escuta várias vezes a mesma coisa ela começa a fixar o que ela ouve. Um bom exemplo é quando damos um DVD novo pra criança achando que ela vai gostar de variar e somos surpreendidos por eles nos pedindo para ver o mesmo DVD antigo. A criança gosta muito de ver conteúdo repetido porque a cada vez que ela assiste ela fixa o conteúdo na memória e vai assimilando mais informações. Assim como a criança, é necessário ouvir diversas vezes a mesma coisa para que você seja capaz de identificar as palavras, assimilar o seu significado e compreender a estrutura da língua.

3º passo: o terceiro passo é a imitação. Imitar para treinar. Esse passo é onde vai passar da compreensão para a fase de expressão. Uma nova língua é repleta de novos sons que utilizam músculos que não estamos acostumados a utilizar. A melhor forma de treinar esses músculos é imitar alguém falando. Assim como a criança faz quando repete o que nós falamos.

Voltando ao exemplo dos meus filhos, volta e meia eu pegava um deles fazendo um barulho tipo “rrrrrrrrr” saindo da garganta. Parecia que eles estavam engasgados e, no começo eu perguntava, o que é isso, que barulho é esse? Depois eu entendi que na verdade eles estavam treinando um fonema muito característico do Francês, como em merci por exemplo.

4º passo: o quarto passo é falar. Para se comunicar nós precisamos falar. Mas nós não precisamos falar corretamente. O problema é que nós ficamos com vergonha de falar errado e queremos aguardar o momento em que seremos capazes de falar corretamente para começar a falar. Esse é o principal erro de quem quer aprender outra língua!

Deixa eu te dar um exemplo: se você está no Rio de Janeiro e um gringo te para na rua, com um mapa na mão, e te pergunta: “onde é “pau de azucar”? Você pode até achar engraçado mas, muito provavelmente você não só vai dar a informação pra ele de como chegar no Pão de Açúcar, mas também vai achar muito legal ele ter tentando falar Português. Além disso, se ele foi capaz de te compreender (que é bem mais fácil do que falar!) pode-se dizer que a comunicação foi 100% eficiente. Ou seja, ele conseguiu a informação que queria.

Então quer dizer que é legal falar tudo errado? Não, o que eu quero dizer é que, mais importante do que falar corretamente é tentar falar. Não tenha medo de errar. Quando você se ouve falando errado o seu cérebro registra o erro e tenta corrigi-lo automaticamente. Como esse processo pode levar alguns minutos, provavelmente você não será capaz de voltar pra pessoa que te ajudou e falar a frase corretamente mas, de qualquer forma, ela fica gravada na sua memória e, quando você se vir novamente na mesma situação, você vai resgatar essa memória e falar corretamente.

Eu costumo dizer que: “quem fala, erra e quem erra, aprende” e o contrário também é válido. Isso significa que “quem não fala, não erra! Mas, também não aprende!”

Se você está estudando algum idioma ou se ainda está na dúvida se deve tentar, anime-se! Você é capaz de falar uma outra língua e nem mesmo precisa saber escrever para conseguir isso! Espero que esses 4 passos sejam úteis pra você na sua jornada.

Se você gostou deste post, deixe o seu comentário e compartilhe! Leia também 5 Dicas Para Acelerar o Seu Desenvolvimento no Aprendizado de Línguas

5 Dicas para Escolher uma Escola para o Seu Filho

Se você está na fase de escolher uma escola para o seu filho e está se sentido perdida, tenha calma. Você não é a única e é muito natural que fiquemos ansiosas na escolha da escola.

Para ajudar os pais que estão passando por esse momento, elaborei uma lista simples com 5 itens que me ajudaram a escolher a escola para os meus filhos. Espero que sejam úteis pra você também! Essas dicas valem para crianças que estão em formação e cursando até o nono ano, a partir daí ela vai entrar no ensino médio e tem que realmente se preparar para o vestibular.

1 – Escolha uma escola perto da sua casa: as vezes ficamos tentadas a colocar nossos filhos para estudar perto do nosso trabalho para facilitar a nossa logística. Não imprima uma rotina de adulto para o seu filho fazendo ele acordar cedo e enfrentar engarrafamento na ida e na volta da escola. Ele vai acabar dormindo no carro e vai transformar a sua vida num inferno quando chegar em casa com a bateria recarregada. Criança precisa de vida de criança e isso significa estudar perto de casa.

2 – Escolha uma escola alinhada aos seus valores: o objetivo da escola não é apenas fazer com que o seu filho aprenda um monte de coisas que você pode encontrar no google. A escola será o ambiente onde o seu filho vai socializar com outras crianças, aprender a compartilhar, a respeitar os outros, a fazer parte de uma instituição com determinadas regras, a lidar com as suas frustrações, a ter prazer em estudar e descobrir as coisas. Você concorda com os valores da escola, com o método pedagógico que ela utiliza, com a postura dos professores? Para saber mais sobre esse assunto, leia o post Qual a Educação que Buscamos para os Nossos Filhos?

3 – Escolha uma escola que você possa pagar: educação é um item extremamente importante mas, ela não vem só da escola, vem também de casa e das experiências que a criança tem com o mundo. Invista numa escola que você considere boa, mas que esteja dentro do seu orçamento. Pense que se você tiver um dinheiro mensal extra, poderá proporcionar momentos incríveis para a sua família fazendo uma viagem de férias, por exemplo. Qual a experiência mais rica: estudar numa escola bilíngue ou fazer uma poupança para o seu filho fazer intercâmbio?

4 – Escolha uma escola com atividades extracurriculares: as atividades extracurriculares como futebol, capoeira, vôlei, balé, natação, coral, musicalização, línguas, artes, etc., são ótimas oportunidades para o seu filho ter contato com diferentes atividades que vão proporcionar um desenvolvimento psicomotor que ajudam no desenvolvimento cognitivo. Atividades físicas melhoram o aprendizado e a memória e atividades artísticas trabalham a criatividade e são uma boa forma da criança se expressar. Se a escola inclui atividades extras no seu currículo é um sinal de que ela está preocupada em desenvolver essas habilidades como forma de complementar o que é dado em sala de aula. Se estiver incluído na mensalidade, melhor ainda.

5 – Escolha uma escola com um espaço que estimule o desenvolvimento: em geral vivemos em cidades, em prédios ou em casas com um quintal pequeno. Sempre que possível tente escolher escolas que ofereçam espaços onde a criança possa ter contato com a natureza. Brincar na areia, ver passarinhos e colher frutas nas árvores estimulam o desenvolvimento dos sentidos, o amor pela natureza e a alegria de viver, além, é claro, de proporcionar espaço para eles correrem à vontade e gastarem bastante energia!

Você deve estar se perguntando: como eu vou saber todas essas informações antes de matricular o meu filho? Realmente é muito difícil responder todas essas perguntas de forma precisa antes de ter um maior contato com a escola, mas dá para se ter uma boa ideia conversando com pessoas da direção e pais de alunos. E, por mais “definitiva” que esta decisão possa parecer, não é! Claro que queremos acertar de primeira mas, se não der certo, há sempre a possibilidade de mudar de escola.

Uma vez tomada a sua decisão, o mais importante é acompanhar o desenvolvimento do seu filho. Procure feedback dos professores e esteja aberta a ouvir o que eles têm a dizer. Observe o comportamento do seu filho pois ele será o termômetro que você precisa para adequar alguma situação.

E, se tudo der errado, não se desespere! Inspire fundo e recomece. Eu sempre gosto de pensar que da segunda vez é sempre mais fácil!

Se esse post foi útil pra você, compartilhe! Deixe também o seu comentário, o seu feedback é super importante para mim!

Boa sorte na sua escolha!

Dicas para Evitar Crises Nervosas Fora de Casa

Durante um passeio longo ou uma viagem, toda a família sai da rotina e bagunça os horários de descanso e refeição. No entanto o sono, a fome e o cansaço são elementos perfeitos para desencadear uma crise.

Se você vai sair para passear com o seu filho, com certeza você quer aproveitar bastante o tempo que passarem juntos, certo? Então, aqui estão algumas dicas para o seu passeio ser tranquilo e divertido para todos.

Tenha sempre comida por perto: em geral as crianças perdem o controle quando estão com sono, cansadas ou com fome. Se você está saindo para um passeio longo ou uma viagem de férias cansativa, leve sempre com você água e comida e o incentive a ter alguns momentos de descanso. A hora do piquenique, além de prazerosa, é uma oportunidade para o seu filho parar um pouquinho e descansar.

Não perca para o seu filho: isso as vezes parece impossível, mas tenha em mente que nós adultos somos mais experientes que nossos filhos e portanto mais espertos que eles. Se o seu filho insiste em algo até conseguir e acaba te vencendo pelo cansaço, proponha uma alternativa que ele aceite, dessa forma você é que ganha a disputa, e não ele. Só entre na batalha se for pra ganhar. Se você não está com paciência para manter a sua posição até o final, ceda logo e deixe ele fazer o que está pedindo.

Não tente impor limites quando as crianças estão cansadas: é muito normal querermos repreender um mau comportamento, principalmente se estivermos em público, onde o pai ou a avó estão presentes e cobram de nós uma atitude mais dura com a criança. São nos momentos de cansaço que as crises acontecem com mais frequência e, se elas já estão cansadas, há grandes chances de você perder essa batalha. Se você se interessou por esse assunto, leia também o meu post A Melhor Hora para Educar o Seu Filho.

Não crie expectativas exageradas: se vai fazer uma viagem para a Disney, por exemplo, é normal criarmos expectativas, mas tenha em mente que vocês terão momentos maravilhosos e outros chatos e desgastantes, como em qualquer viagem. Fazendo isso, estará preparada para lidar com as situações difíceis sem perder a esportiva e ficar frustrada quando algo der errado. Se um voo atrasar, uma mala extraviar, um carro quebra ou o seu marido ficar estressado, mantenha a calma e o bom humor, pois tudo vai se resolver. Dessa forma, poderão aproveitar os momentos bons que terão juntos e na volta terão várias estórias “engraçadas” pra contar.

Se você gostou deste post, deixe o seu comentário e compartilhe! Se você quer saber mais sobre o assunto, leia mais sobre 3 Regras para Minimizar as Crises Nervosas do Seu Filho.